Explicações sobre Pré Tratamento Corona - Pré Tratamento Flamagem - Pré tratamento Plasma - Promotor de Aderência

Tratamento Corona

O tratamento Corona consiste no uso de uma descarga elétrica contínua de alta voltagem e alta frequência, que aumenta a umectabilidade da superfície de materiais plásticos em diversas formas permitindo a aderência de outros materiais. Sendo muito utilizado pelas indústrias fabricantes peças de plásticos embalagens flexíveis e rígidas. Usado principalmente peças onde o subastrato é o PP e o PE, os varios modelos de equipamentos com comando microprocessado torna-se facil sua integração em nossas maquinas tampograficas, em nossas máquinas de impressão em tampas ou automações já vem integrado com o comando central da máquina.

Tramento Flamagem ( Flambagem)

O princípio da flamgem é bastante simples. Uma chama viaja ao longo da peça a ser tratada; quente no até 1800 ° C chama será queima de oxigênio consumido (chama magra), a partir do ambiente na chama quente eindiffundierender oxigênio e os produtos da combustão (por exemplo., como CO 2 , H 2 O), parcialmente em forma ativada , Estes radicais altamente reactivos (z. B. S, OH), as moléculas de plástico de cadeia longa interrupção na superfície e ligam-se ao ponto de ruptura. Isto cria fracções polares nas moléculas. A tensão superficial e a molhabilidade é aumentada. Ao romper as moléculas de cadeia longa de material sintético para a tinta pode anexar melhor à superfície. Além disso ocorrendo nos processos de superfície são uma rugosidade da superfície e um certo efeito de limpeza. A rugosidade de uma escala microscópica, por conseguinte, não é visível, o que resulta em um aumento da superfície e permite uma melhor ancoragem mecânica.

Tratamento Plasma

O plasma atmosférico, ou simplesmente PLASMA, é um tratamento de superfície de alta eficiência e velocidade quando comparado com as principais técnicas até então conhecidas como o CORONA, CHAMA GLP e PRIMER.

Dentre as vantagens do PLASMA estão a alta velocidade, a repetitividade e o alto poder de ativação da superfície.

As unidades de plasma à pressão atmosférica não necessitam de um contra-eléctrodo ligado à terra durante o pré-tratamento. Encontrar as descargas de faíscas entre os dois eléctrodos, dependendo do dispositivo, na saída da cabeça do eléctrodo ou interior em vez disso. Por uma corrente de ar, o plasma gerado é transferido para a superfície do substrato. As cadeias fechadas de moléculas de superfície são quebradas, onde as espécies activadas, principalmente radicais de oxigénio, pode ser depositado. Na superfície não-polar acima moléculas polares são gerados, para o qual as moléculas de corante pode ligar-se quimicamente. A operação pode ser simplificada da seguinte forma, representam:

A largura tratamento de uma cabeça de eléctrodo depende do tipo e da area a ser tratada larguras de trabalho maiores, pode ser conseguida por um conjunto de Bicos. Se os gases de processo ser desejado, eles podem ser misturados nas lacunas de ar. Para pré tratamento de peças PP PE etc.com Máquinas Tampograficas semi automáticas o comando pode ser acionado manualmente, e para máquinas tampograficas em sistemas automáticos o controle é o mesmo podendo ser operado diretamente no comando central da máquina de tampografia

Promotor de Aderência (Primer)

Em superfícies plásticas, a função do Promotor de Adeência (primer) é permitir a aderência da camada posterior de tinta no nosso caso imagem da impressão de tampografia, que de outra forma não aderiam à superfície do plástico e a de conferir uma tonalidade de coloração neutra, a qual permitirá aplicar na peça que seja a tonalidade de cor. Contudo existem tambémn outras soluções que são aplicadas antes do primer denominado "solução seladora para plástico" que garantem a aderência do primer no plástico.